quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Qu'ela




Que ela venha, vestida de sol ou de chuva,
Que ela seja além da imaginação...
Que ela caiba, em nós, tal qual uma luva
Que ela volte, com muito amor no coração.

Que ela sonhe, tal qual doce criança,
Que ela faça, por nós, a maior diferença
Que ela traga, para nós, uma grande mudança
Que ela encante, com a sua simples presença.

Que ela seja - apenas - ela mesma, somente.
Que ela esteja consigo, feliz, sempre.
Que ela tudo possa, tão logo, vivenciar.

Que ela não esqueça o passado, mas viva consciente,
Que ela faça do futuro, um resultado do presente,
Que ela sempre deseje, mas procure também realizar.

(Guilherme Ramos, 10/10/2012, 18h10. Numa inspiração repentina, sem explicação. Talvez tenha sido o clima, o dia de chuva ou, quem sabe, talvez, simplesmente a falta de sol...)

Imagem: Florian Imgrund (todos os direitos reservados)

1 comentários:

Carol disse...

Nossa! Me lembrou muito alguem... Eu mesma!
Os oetas tem esse poder imutável de tocar cada pessoa independente de seus problemas...
Lindos meu anjo!!!!

Postar um comentário

Sua participação aqui é um incentivo para a minha criatividade. Obrigado! E volte mais vezes ao meu blog...

 
;