terça-feira, 30 de junho de 2009

Uno Inverso


Sabe por que as estrelas têm seus brilhos tão presentes aos nossos olhos, mesmo quando não existem mais?

Porque não é preciso ESTAR para SER. Somos o que somos na vida dos outros, mesmo distantes.

Assim como as estrelas, só nos RESTA ‘brilhar’ os anos-luz que nos RESTAM. Sim, a REPETIÇÃO é algo proposital. Como na vida. Bem ou mal vivida. Sentida ou não sentida. Ferida ou não ferida. Enfim, no seu/meu fim. Bom ou ruim. Assim, assim...

Não há luz de estrelas sem escuridão. E são trevas que fazem o meu coração. Feito de sangue e músculos, esse órgão não guarda (re)sentimentos. Mas (re)lembra de certos momentos...

Tempos-luz de bem-estar. De não estar. De se encontrar. De se evitar.

Ausência é conseqüência? Coincidência. Abstrata. Que retrata e maltrata a todos. Eu, você... Todo mundo. Todo o mundo. O mundo. Bem fundo... Hora, minuto e segundo...

Contagem regressiva para um outro dia:

4... paredes!

3... horas a fio!

2... corpos que se desejam!

1... orgasmo! No frio (da madrugada...)

Eu...

Você...

Nós...

Que não desatam, apenas aumentam... de tão sós.

É. Enfim... Sós.

Tantas estrelas; tantos sóis...

(Quantas estrelas em tão poucos sóis?)

Um universo infinito...

(Por vezes, maldito...)

Registrando...

Algo de ‘finitivo’...

É definitivo: o fim.

Ou um novo (re)começo...

Para você e também para mim.


(Guilherme Ramos, 30/06/2009, 00h13)

5 comentários:

contatosimediatos disse...

"Não há luz de estrelas sem escuridão"... reflexão e poesia! Lindo texto... Tõ por aqui de novo!
boa semana!

Flavio Barone disse...

incrivel esse texto Guilherme, obrigado por postá-lo aí dando-me a oportunidade de esbarrar nele e poder refletir com tais palavras.

abs

Dani disse...

Cunhas? Andas ouvindo o meu silêncio?
Putzzz,obrigada!!!!!!!!!!
Bjooooooo

Guilherme Ramos disse...

Obrigado! Não esperava que esse texto prosopoético despertasse tanto em vocês. Mas vamos que vamos! A magia da literatura é assim mesmo!

katia disse...

"Nós...

Que não desatam, apenas aumentam... de tão sós."

Tradução da perfeita do (des)encontros de pares que precisam se encontrar em algum lugar do universo.

um dos textos mais marcantes dos últimos tempos.

amooooo

Postar um comentário

Sua participação aqui é um incentivo para a minha criatividade. Obrigado! E volte mais vezes ao meu blog...

 
;